o respeito dos homens

Foi mero acaso,acredita.
Mesmo uma questão de sorte.
Quando me predispus, contaram-me a história dos meus antecessores
e a sorte não lhes tinha sido o que se pudesse chamar de aliada, desde o alferes leão ao churrasco, não mudava muito a sebenta de escrita da história que lhes deu nome. O cheiro da loucura da guerra estava-lhes impregnada.
Os homens estavam num estado lastimável a ponto de aparecerem de chinelos calções e tronco nú á formatura. Olhavam-me de lado e com um sorriso mordaz como que a anunciarem ou a emitirem um cumprimento a uma curta estadia.
Assim o respeito dos homens impunha-se e tornava-se agora a minha primeira missão.
Tinha que os agarrar caso contrário seria o meu suicídio, e o deles...
Assim para uma primeira nota dava para catalogar mesmo assim, com título e tudo, é bonito...O respeito dos homens

1 comentário:

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta

Doce beijo