Tinha sido ali que tinha aprendido que podia sobreviver, e fora o guião de Sun Tsu, era seguro que se seguisse a pista de qualquer símio ele o levaria à água às folhas e aos frutos comestíveis. E assim fora.
Fazia naquela época parte dos irregulares. Com cento e quarenta entregues a si. E ele a si próprio. Se se perdessem não constariam de estatística. Códigos e estratégias que podem agora viajar no diário de bordo dos cadernos de guerra.
Vou-te seguir deambulando pelos teus trilhos a que vais tirando as teias abrindo-os um a um com o cuidado de não os desintegrar, de tão frágeis de anos de cárcere no silencio da memória.
Estou a aprender o respeito pela grandeza dos lados opostos quando viajam em pé de igualdade.
Assim se fundirão as nossas páginas de passado num corpo de futuro.

2 comentários:

Adolfo Payés disse...

Passo para deixar o meu habitual saudação fraterna ..
Desculpas pela minha ausência ..

Por razões não me foi possível viajar em cada um o seu blog.
Continuando com a minha viagem e espero que em breve o normal para compartilhar seus escritos ..

Un abrazo
Saudação fraterna ..

Dri Viaro disse...

Oi!!

Passei pra conhecer seu blog, e desejar boa semana

bjs

aguardo sua visita :)